Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/4305
Tipo: Tese
Título: As influências da intenção de compra e a disposição a pagar dos consumidores britânicos em relação a uma carne bovina de baixa emissão de carbono.
Autor(es): Ana Flavia Siqueira Abrahao
Primeiro orientador: Guilherme Cunha Malafaia
Resumo: O objetivo desta tese é aprofundar o entendimento da consciência ambiental dos consumidores de carne bovina, quanto a percepção destes em relação ao impacto ambiental que a pecuária de corte tem no planeta. Dado que as mudanças climáticas põem em risco a segurança alimentar do planeta e que a demanda do setor agropecuário está em crescente ascensão para atender uma população de quase 10 bilhões de habitantes até 2050 segundo previsões, um comportamento mais sustentável é esperado da sociedade. Para tanto se faz necessário estudar e entender o que influencia a compra de produtos ambientalmente corretos. Trata-se de uma pesquisa quantitativa de análise exploratória sobre as influências acerca da intenção de compra por parte dos consumidores de carne bovina do Reino Unido sobre um produto com menor emissão de carbono e a respectiva disposição em pagar por este novo atributo. O impacto que esta cadeia possui no meio ambiente é expressivo, cada quilo de carne bovina produzida gera o equivalente a 300g de metano (CH4), até 15 kg de gás carbônico (CO2) e consome-se 15.000 litros de água para sua produção do pasto ao prato, números estes com variações significativas a depender do método de produção. Estudos apresentam processos inovadores capazes de diminuir tais externalidades negativas que afetam a segurança alimentar, já que aqueles gases de efeito estufa são responsáveis pelas mudanças climáticas. A agricultura sendo altamente dependente da regularidade pluvial, alagamentos por chuvas torrenciais e longos períodos de seca põem em risco a nutrição de toda a população mundial. Dado o impacto ambiental da bovinocultura, a oferta de um produto mais sustentável já vem sendo discutida, sendo a carne carbono neutro uma das saídas encontradas. Porém, a demanda por tal produto passou a ser estudada só mais recentemente, havendo alguns gaps na literatura quanto à percepção de seus consumidores quanto ao supracitado impacto ambiental, motivo pelo qual busca-se através deste estudo preenchê-los. Para tanto foi expandido o modelo de análise da teoria do comportamento planejado (TCP) de Ajzen, agregando fatores que influenciam as atitudes dos compradores de carne, a saber: o conhecimento declarado acerca daquelas externalidades negativas, bem como a autoidentidade desses indivíduos, averiguando como estes se enxergam enquanto agentes corresponsáveis daqueles impactos. Foi elaborado um questionário para averiguar a intenção de compra futura da população britânica sobre uma carne com menor taxa de emissão de carbono e sete hipóteses foram testadas, a partir da expansão do modelo da TCP. Foi avaliado também o quão dispostos estão esses consumidores em pagar por essa carne quando ofertado junto a outros atributos, quais sejam: três níveis de pegada de carbono, três níveis de gordura da carne moída, origem (britânica, brasileira ou da União Européia) e selo de desperdício reduzido. Para a disposição a pagar, foi utilizada a técnica de experimento discreto de escolha e para intenção de compra a modelagem em equações estruturais. A amostra foi escolhida por se tratar de um país desenvolvido e por estar em um novo momento econômico de dissuasão do bloco econômico o qual fazia parte. Os resultados revelaram um significante ajuste estatístico do novo modelo proposto. Das variáveis que predizem o comportamento futuro do consumidor, normas sociais e atitudes se destacam no peso de influência na intenção de compra. Quanto à disposição a pagar, foram discriminados quatro grupos caracteristicamente diferentes, cada um disposto a pagar um preço premium pelos atributos diferentes. Na média, os resultados apontam que os consumidores de carne bovina do Reino Unido pagariam a mais por uma carne magra e britânica, mas não por uma carne bovina brasileira mesmo com reduzida emissão de carbono. Ainda que a carne com menor emissão fosse produzida no Reino Unido, os consumidores pagam mais pela gordura reduzida e não pela taxa de emissão de carbono. Contudo, a heterogeneidade da amostra explicita a particularidade de cada classe latente, sendo esta média muito genérica sem especificar os comportamentos individuais, vez que existem consumidores dispostos a pagar mais por uma carne mais sustentável, mesmo sendo minoria. Conclui-se, portanto, que a grande maioria da amostra não está disposta a comprar uma carne mais sustentável, mas que há elementos que influenciam a intenção de compra capazes de reverter essa situação, qual seja: educação, capaz de construir autoidentidades mais coletivistas e que se preocupem com o meio ambiente, assim como pode também aumentar o conhecimento declarado dos consumidores quanto a consciência de que seus hábitos podem ter efeitos e consequências negativas para a sociedade.
Abstract: The objective of this thesis is to advance our understanding of beef consumers' consciousness regarding the environmental impact that the beef cattle chain has on the planet. The research method is quantitative, an exploratory analysis of the influences of purchase intention by British consumers of low carbon beef and their willingness to pay for this new attribute. The environmental impact of beef cattle is significant, each kilo of beef produced generates the equivalent of 300g of methane (CH4), up to 15 kg of carbon dioxide (CO2) and 15,000 liters of water are consumed for its production, pasture to the plate, but these numbers may vary significantly depending on the production system. Many studies present innovations that reduce such negative externalities, diminishing, therefore, food security, since those greenhouse gases are responsible for climate change. Agriculture, being highly dependent on regular rainfall, flooding by torrential rains, and long periods of drought put at risk the nutrition of the entire world population, estimated at 9.7 billion inhabitants by the year 2050. Considering the environmental impact of cattle farming, the offer of a more sustainable product is already being discussed, with low-carbon beef being one of the solutions found. However, the demand for such a product has only been studied recently, with some gaps in the literature regarding the perception of its consumers’ environmental consciousness, thus, justifying the present work. For this purpose, Ajzen's model of analysis of the theory of planned behavior (TCP) was expanded, adding factors that influence the attitudes of meat buyers, namely: declared knowledge about those negative externalities, as well as the self-identity of these individuals, investigating how these they see themselves as co-responsible agents for those impacts. A questionnaire was designed to ascertain the future purchase intention of the British population about meat with a lower carbon emission rate and seven hypotheses were tested. It was also evaluated consumers’ willingness to pay for this beef, when offered along with other attributes, namely: three levels of carbon footprint, three levels of fatness, origin (British, Brazilian, or European Union), and Reduced waste seal. For willingness to pay, we used the discrete choice experiment, and for purchase intention the structural equation modeling. The sample was chosen because the United Kingdom is a developed country and it is in a new economic moment due to Brexit. The results revealed a significant statistical fitness of the proposed model. From the variables that predict future purchase intention, social norms and attitudes stand out, influencing this intention the most. As for willingness to pay, four characteristically different latent classes were discriminated, each one willing to pay a premium price for different attributes. On average, the results show that beef consumers in the United Kingdom would pay more for lean and British beef, but not for Brazilian beef even with reduced carbon emissions. However, the heterogeneity of the sample explains the particularity of each latent class, this average being very generic without specifying individual behaviors since there are consumers willing to pay more for more sustainable beef, even though they are a minority. Therefore, it is concluded that the vast majority of the sample is not willing to buy a more sustainable beef, but there are enough elements that influence the purchase intention capable of reversing this situation, namely: education. With more information and education, we are able to build more collectivist self-identities, which are concerned with environmental issues, we can also increase the declared knowledge of consumers regarding the awareness that their habits can have negative effects and consequences for society.
Palavras-chave: -
País: Brasil
Editor: Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Sigla da Instituição: UFMS
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/4305
Data do documento: 2021
Aparece nas coleções:Programa de Pós-graduação em Administração

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE ABRAHAO.pdf5,08 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.