Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/4098
Tipo: Dissertação
Título: As formas de polidez empregadas em Tribunais para atenuar os atos ameaçadores dos interlocutores
Autor(es): Aquino, Fernanda Camargo
Primeiro orientador: Burgo, Vanessa Hagemeyer
Resumo: Este trabalho visa a analisar as formas de polidez empregadas para atenuar os atos ameaçadores à face do defensor e do promotor de justiça no ambiente forense, na comarca de Três Lagoas (MS). Nossa análise se ampara nos pressupostos de Goffman (1967), que desenvolveu o conceito de face como o valor social positivo que uma pessoa efetivamente reclama para si por meio daquilo que os outros presumem ser a linha por ela tomada durante um contato específico. Por intermédio do método empírico-indutivo verificamos quais estratégias de polidez são as mais recorrentes em um plenário de Tribunal do Júri. O presente trabalho está ancorado nas bases teóricas da Análise da Conversação em relação de interface com a Linguística Forense. A pesquisa está fundamentada, especialmente, nas perspectivas analíticas de trabalhos de Goffman (1967), Brown e Levinson (1987), Marcuschi (2003), Koch (2009), Kerbrat-Orecchioni (2006), Coulthard e Johnson (2010), Galembeck (1999) e Coulthard (2007). Para a constituição do corpus, utilizamos gravações de audiências nas sessões do plenário do Tribunal do Júri na comarca de Três Lagoas, interior de Mato Grosso do Sul, transcritas conforme Preti (2003). Ao final, esta pesquisa permite evidenciar que as formas de polidez utilizadas para atenuar os atos ameaçadores de face são mecanismos utilizados, muitas vezes, para fortalecer a argumentação dos interlocutores envolvidos no ambiente forense.
Abstract: The following paper focuses on analysing the forms of politeness used to mitigate the face-threatening acts of the defender and the prosecutor in forensic settings, in the region of Três Lagoas (MS). The analysis relies on the assumptions of Goffman (1967), who came up with the concept of “face” as the positive social value a person effectively claims for himself by the line other assume he has taken during a particular contact. We used inductive reasoning to verify which politeness strategies are the most recurring during a jury trial. The present study builds upon the theoretical basis of the Conversation Analysis and Forensic Linguistics. The research is based, in particular, on the analytical perspectives of Goffman (1967), Brown and Levinson (1987), Marcuschi (2003), Koch (2009), Kerbrat-Orecchioni (2006), Coulthard and Johnson (1999) and Coulthard (2007). To build the corpus of the current study, we used audio recordings of the jury trials in the county of Três Lagoas, countryside of Mato Grosso do Sul. The recordings were transcribed according to Preti (2003). The present research makes it possible to show that the forms of politeness used to attenuate the face-threatening acts are tools often employed to strengthen the reasoning of the counterparts engaged in forensic settings.
Palavras-chave: Linguagem
Linguagem Forense
Performance
Polidez
Análise da Conversação.
CNPq: TEORIA E ANALISE LINGUISTICA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Sigla da Instituição: UFMS
Faculdade, Instituto ou Escola: CPTL
metadata.dc.publisher.program: Pós-graduação em Letras - Mestrado
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/4098
Data do documento: 21-Fev-2019
Aparece nas coleções:Programa de Pós-graduação em Letras (Campus de Três Lagoas)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.