Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/991
Tipo: Dissertação
Título: Políticas públicas para o turismo e suas implicações no ordenamento territorial de Bonito, MS
Autor(es): Camargo, Evellyn Izumi de
Abstract: A partir da década de 1990, o município de Bonito, localizado na porção Sudoeste do Estado de Mato Grosso do Sul, passa a receber um elevado número de turistas, atraídos por seus recursos naturais de composição cárstica, como grutas, cachoeiras e rios de águas transparentes. A economia do município, antes baseada na agropecuária e extração mineral, busca adaptar-se à nova atividade em expansão, o turismo. Com o advento dos turistas, muitas residências são transformadas em pousadas, agências de turismo são abertas, investidores da área hoteleira passam a aplicar seu capital na cidade, além de bares, restaurantes, lojas de souvenires, que são instalados para atender às novas exigências do mercado turístico. Neste contexto de intenso crescimento, analisa-se o papel do Estado, como regulador e fomentador da economia, por meio das políticas públicas para o setor turístico; e aliadas ao Estado, no gerenciamento direto do turismo bonitense, a representatividade das organizações sociais explicita a força da iniciativa privada na sociedade local. O objetivo deste trabalho sustenta-se, portanto, na análise das repercussões das políticas públicas nacionais, estaduais e municipais para o turismo em Bonito, procurando discutir as implicações sócio-espaciais, a partir da década de 1990, situando os limites e as possibilidades destas no município, que passa a atribuir papel ao turismo, como um dos setores prioritários de sua economia e de suas ações. Por meio de pesquisa de campo e levantamento de dados junto aos agentes do segmento turístico, foi possível identificar as reais transformações ocorridas no território de Bonito, em função do incremento da atividade turística, onde afinal, uma nova configuração sócio–espacial pode ser percebida.
Since 1990’s, Bonito’s town, located ate Southwest of Mato Grosso do Sul state, starts to receive a considerable number of tourists, attracted by the natural resources, like calcarian caves, waterfalls and transparent rivers. The local economy, before based on cattle raising, agriculture and mineral extraction, try to adapt to a new activity in expansion, the tourism. When the tourists arrived, many residences are transformed in hotels and Inns, agencies of travel are opened, investor of hostelry sector applying your capital in this place, as well pubs and restaurants, souvenirs stores are instilled to answer the new exigencies of tourist trade. In this context of intense growing, is analysed the function of State, like regulator and promoter to the economy, though public politicians for the sector. Besides the State, in the management of Bonito’s tourism, the representatively of social organisations, shown the power of private initiative on local society. This work intent to analyse repercussion of national, estate and municipal public politicians, for the tourism in Bonito, intending discuss social and spatial impacts, from 1990’s, situating limits and possibilities of this in the town, which starts to attribute important position for the tourism, like one of the priorities sectors in the local economy and public actions. Through interviews and research, was possible identify real transformations happened in this town, because of tourism increment, where a new space configuration can be realised.
Palavras-chave: Espaço Turístico
Organização Social
Políticas Públicas
Turismo
Bonito (MS)
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/991
Data do documento: 2005
Aparece nas coleções:Programa de Pós-graduação em Geografia (Campus de Aquidauana)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Evellyn Izumi de Camargo.pdf992,98 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.