Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/610
Tipo: Dissertação
Título: Fenologia de floração e polinização de espécies ornitófilas na Serra da Bodoquena, Mato Grosso do Sul, Brasil
Autor(es): Faria, Rogerio Rodrigues
Abstract: Os beija-flores (Trochilidae) compõem o maior grupo de polinizadores vertebrados dos neotrópicos, e em regiões neotropicais as plantas polinizadas por essas aves podem constituir de 2-15% das espécies de angiospermas de uma dada comunidade. Este estudo teve como objetivos: (i) registrar a fenologia de floração e a polinização das espécies ornitófilas em dois ambientes (mata ciliar e em uma floresta de encosta) da Serra da Bodoquena, e (ii) descrever o sistema reprodutivo e testar a produção de frutos sob diferentes intensidades de polinização para a espécie Ruellia angustiflora (Acanthaceae), na mata ciliar do rio Salobrinha. O estudo foi conduzido de junho de 2005 a agosto de 2006. Dados sobre a fenologia de floração, a biologia floral, o volume e a concentração do néctar, bem como observações focais dos visitantes florais foram tomadas mensalmente em pelo menos dez individuos pré-marcados de todas as espécies ornitófilas registradas. Adicionalmente, foram realizados experimentos reprodutivos e o registro do efeito de uma, duas e três visitas na formação de frutos e sementes em Ruellia angustiflora. A comunidade estudada apresentou oito espécies ornitófilas e seis de beija-flores, sendo Acanthaceae a familia mais representativa entre as espécies ornitófilas da Serra da Bodoquena e a que possuiu as espécies mais importantes como fonte de recurso para os beija-flores. As espécies ornitófilas floresceram o ano todo provendo recurso para a comunidade de beijaflores nos dois habitats estudados. Phaethornis pretrei foi o principal visitante das espécies ornitófilas, ocorrendo ao longo de todo o ano na área de estudo e visitando as flores de todas as espécies de forma legitima. Ruellia angustiflora é autógama e os resultados dos experimentos de polinização cruzada com diferentes cargas de pólen sugerem limitação de pólen, pois ocorreu aumento na formação de frutos com o aumento na dosagem de pólen. Por outro lado, não houve efeito do número de visitas de beija-flores sobre a formação de frutos e sementes por essa espécie. De acordo com os resultados obtidos, a única barreira que R. angustiflora parece apresentar contra a autopolinização é a hercogamia.
Hummingbirds are the major group of vertebrate pollinators in the neotropical region and, at these sites, plants pollinated by these birds can account for 2-15% of angiosperm species. The goals of this study were: (i) to analyze the flowering phenology and pollination of ornitophilous species in two environments (forest gallery and Semi-deciduous forest) of Serra da Bodoquena, and (ii) to describe the breeding system and to test fruit set under different intensities of pollination for Ruellia angustiflora, in gallery forest of Salobrinha river. The study was carried out between June 2005 and August 2006. Data on phenology, floral biology, nectar volume and concentration as well as on focal observations of floral visitors were carried out monthly in pre-marked individuals of all ornitophilous species recorded. Additionally, it was realized reproductive experiments and recorded fruit and seed set after one, two or three visits of hummingbirds on Ruellia angustiflora flowers. The studied community presented eight ornitophilous species and six hummingbird species. Acanthaceae was the most representative family between ornitophilous species, being the most frequent and the more important resource for hummingbirds. Ornitophilous species flowered yearround providing resources for the hummingbird community at the two studided habitats. Phaethornis pretrei was the major visitor of ornitophilous species, occurring year round at the study site and visiting flowers of all recorded plant species in a genuine manner. Results of manual cross-pollinations in Ruellia angustiflora suggest pollen limitation, because increasing fruit set occurred in response to increasing pollen loads. Although, it does not found a positive relation between number of visits and fruit and seed set for this species. According to results presented here, the only barrier that R. angustiflora seems to present to avoid auto-pollination is herkogamy.
Palavras-chave: Fenologia
Bodoquena (MS)
Beija-Flores
Dieta Animal
Ecologia de Interações
Polinização
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/610
Data do documento: 2007
Aparece nas coleções:Programa de Pós-graduação em Ecologia e Conservação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Rogerio Rodrigues Faria.pdf1,13 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.