Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/4507
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Título: ASPECTOS COMPORTAMENTAIS DIANTE DO DINHEIRO: um olhar sobre investimentos pela ótica das finanças comportamentais
Autor(es): Pereira, Joab Toral
Primeiro orientador: Sordi, Victor Fraile
Primeiro membro da banca: Casagranda, Yasmin Gomes
Segundo membro da banca: Rodrigues, Wesley Osvaldo Pradella
Resumo: Este estudo tem por objetivo discutir, sob o olhar das finanças comportamentais, o perfil do investidor brasileiro e seus aspectos comportamentais em relação aos investimentos. Empregou-se uma pesquisa descritiva, aplicando-se um questionário fechado a uma amostra aleatória de 148 indivíduos pela internet. Observou-se que mesmo uma amostra com alto nível de renda e escolaridade, comparada a população brasileira, está sujeita a vieses cognitivos quando o assunto é dinheiro e investimentos. A maior parte dos participantes investe até 25% da sua renda domiciliar. Os investimentos mais utilizados pelos participantes são: caderneta de poupança (39%), imóveis (38%), fundos de investimento (24%), ações (24%) e previdência privada (19%). A maior parte da amostra julga conhecer um pouco sobre investimentos, mas apresentam algumas dificuldades sobre o tema. Os resultados encontrados sugerem que a amostra de participantes está mais propensa a arriscar para não perder do que arriscar para ganhar mais. Ao menos três efeitos da aversão à perda foram percebidos nos dados. O efeito certeza, o efeito reflexão e o efeito sensibilidade à perda.
Abstract: Este estudo tem por objetivo discutir, sob o olhar das finanças comportamentais, o perfil do investidor brasileiro e seus aspectos comportamentais em relação aos investimentos. Empregou-se uma pesquisa descritiva, aplicando-se um questionário fechado a uma amostra aleatória de 148 indivíduos pela internet. Observou-se que mesmo uma amostra com alto nível de renda e escolaridade, comparada a população brasileira, está sujeita a vieses cognitivos quando o assunto é dinheiro e investimentos. A maior parte dos participantes investe até 25% da sua renda domiciliar. Os investimentos mais utilizados pelos participantes são: caderneta de poupança (39%), imóveis (38%), fundos de investimento (24%), ações (24%) e previdência privada (19%). A maior parte da amostra julga conhecer um pouco sobre investimentos, mas apresentam algumas dificuldades sobre o tema. Os resultados encontrados sugerem que a amostra de participantes está mais propensa a arriscar para não perder do que arriscar para ganhar mais. Ao menos três efeitos da aversão à perda foram percebidos nos dados. O efeito certeza, o efeito reflexão e o efeito sensibilidade à perda.
Palavras-chave: Finanças Comportamentais
Investimentos
Aversão à Perda
CNPq: Administração
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Sigla da Instituição: UFMS
Faculdade, Instituto ou Escola: CPNV
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
metadata.dc.rights.uri: https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/br/
URI: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/4507
Data do documento: 25-Nov-2020
Aparece nas coleções:Administração - Bacharelado (CPNV)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCC JOAB.pdf348,56 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons