Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/415
Tipo: Dissertação
Título: Ocorrência das vulvovaginites em gestantes de baixo risco
Autor(es): Freitas, Sandra Luzinete Félix de
Abstract: As vulvovaginites na gravidez associam-se, freqüentemente, a complicações maternas e perinatais; por esse motivo é necessário que sejam diagnosticadas e tratadas em tempo. Objetivos: conhecer a prevalência das vulvovaginites em gestantes que realiza o pré-natal no Ambulatório de Ginecologia e Obstetrícia do Núcleo de Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul com enfermeira obstetra e identificar os diagnósticos de enfermagem mais freqüentes. Método: trata-se um estudo descritivo, observacional, de corte transversal, de caráter quantitativo, realizado de junho a outubro de 2007, com 31 gestantes. Os dados foram coletados com instrumento do tipo formulário, por meio da anamnese, exame físico, teste de Whiff e de pH vaginal, exames laboratoriais e de Papanicolaou. Resultados: a freqüência da vaginose bacteriana e da candidíase vulvovaginal foi de 22,6%, da vaginose bacteriana associada à candidíase vulvovaginal 16,1%, da tricomoníase vulvovaginal associada à candidíase 3,2% e de vaginite sugestiva de gonorréia foi de 3,2%. Foram identificados oito diagnósticos de enfermagem reais: Comportamento de busca de saúde, Dor aguda, Manutenção ineficaz da saúde, Conhecimento Deficiente, Comportamento de saúde propenso a risco, Integridade tissular prejudicada, Eliminação urinária prejudicada, Disfunção sexual, e seis potenciais, representados pelos seguintes fatores de risco: secreções e umidade (corrimento vaginal) (100%), umidade vaginal aumentada relacionada à gravidez (100%), aumento do fluxo sangüíneo e da temperatura no trato genital inferior (100%), distúrbio na imagem corporal (100%), hábitos inadequados de higiene (45,2%), elevação do pH (51,6%), bacilos de Döderlein ausentes (51,6%), ectopia (38,7%), freqüência aumentada da atividade sexual (51,6%), vulvovaginites (67,7%), risco de rotura prematura de membranas relacionado às vulvovaginites (67,7%) e fatores mecânicos (ato de coçar) (38,7%). Conclusão: o diagnóstico das vulvovaginites e a identificação dos diagnósticos de enfermagem são fundamentais para nortear a conduta de enfermagem na consulta de pré-natal.
The vulvovaginites in pregnancy associate themselves, often to maternal and perinatal complications, for this reason they must be diagnosed and treated in time. Objectives: to know the prevalence of the vulvovaginites in pregnant women who carry out pre-natal in the Outpatient Clinic of Gynecology and the Obstetrics of Nucleus of the University Hospital of the Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, with obstetric nurse, and to identify with obstetric nurse and, to identify the most frequent diagnoses of nursing. Method: this is a descriptive study, observational, cross-sectional, of quantitative character, conducted from June to October 2007, with 31 women. The data were collected with instrument of the type form, by means of anamnese, physical examination, test of Whiff and vaginal pH, laboratory tests and Pap. Results: The frequency of bacterial vaginosis and vulvovaginal candidiasis was tehe same (22.6%), the bacterial vaginosis associate to vulvovaginal candidiasis 16.1%, trichomoniasis vulvovaginal associated with candidiasis 3.2% and vaginitis suggestive of gonorrhea was 3,2%. 8 real disgnostic of nursing had been identified: Health-Seeking Behaviors, Acute pain, Health Maintenance Ineffective, Deficient Knowledge, Behavior of inclined health the risk, Tissue integrity impaired, Urinary elimination impaired, Sexual Dysfunction and, 6 potentials diagnosis represented for the main risk factors: secretions and humidity (vaginal discharge) (100%), Increased vaginal humidity related to the pregnancy (100%), Increasing blood flow and temperature in the lower genital tract (100%), body image disturbance (100%), inadequate hygiene habits (45,2%), elevation of pH (51,6%), absence of Doderlein bacilli (51,6%), ectopia (38,7%), Increased frequency of sexual activity (51,6%), vulvovaginites (67,7%), risk of premature rupture of membranes related to the vulvovaginites (67,7%) and Mechanical factors (act of scratching) (38,7%). Conclusion: the diagnosis of the vulvovaginites and the identification of the nursing disgnostic are basic to guide the conduct of nursing in outpatient prenatal care.
Palavras-chave: Vulvovaginite
Enfermagem Obstétrica
Cuidado Pré-Natal
Vulvovaginitis
Obstetrical Nursing
Prenatal Care
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/415
Data do documento: 2008
Aparece nas coleções:Programa de Pós-graduação em Saúde e Desenvolvimento na Região Centro-Oeste

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Sandra Luzinete Felix de Freitas.pdf948,98 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.