Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/402
Tipo: Dissertação
Título: Avaliação da resistência de união de um cimento resinoso a um filme vitrocerâmico depositado em superfície de Y-TZP
Título(s) alternativo(s): Evaluation of bond strength of a resin cement to ceramic film deposited on a surface Y-TZP
Autor(es): Mattiello, Rodrigo Dalla Lana
Abstract: O uso de Y-TZP como reforço de cerâmicas ampliou significativamente suas propriedades mecânicas, possibilitando o uso em diversas situações clínicas tais como pinos intra-radiculares, coroas, próteses parciais fixas e implantes. Com isso, os métodos tradicionais para tratamento superficial têm sido verificados como ineficazes visto que sua ação ocorre sobre a matriz vítrea, praticamente inexistente nestas cerâmicas. O objetivo deste estudo foi avaliar a resistência de união, por ensaio de microtração e microscopia eletrônica de varredura, de um cimento resinoso (Panavia F; Kuraray CO, Japão) à superfície de cerâmica reforçada por Zircônia (VITA In Ceram Zircônia Y-TZP; VITA Zahnfabrik, Bad Saackingen, Alemanha), variando o método de tratamento superficial da mesma: Gr1- Jateamento com partículas de óxido de alumínio revestidas por sílica (Sistema Rocatec, 3M-ESPE); Gr2- Aplicação de filme vitrocerâmico por deposição de Vidro Bioativo (VBA). Três blocos pré-sinterizados da cerâmica In-Ceram Zircônia Y-TZP foram seccionados em máquina de corte (Isomet 1000, Buehler, EUA) produzindo espécimes com 5x6x6mm, que foram polidos em lixa de SiC até a granulação de 1200. Nas mesmas dimensões foram produzidos blocos da resina Filtek Z-350 (3M/ESPE), os quais foram cimentados com Panavia F nos blocos cerâmicos após os tratamentos: Gr1- jateamento com Al₂O₃ de 110μm, silicatização com sistema Rocatec (3M/ESPE) e silanização; Gr2- deposição do filme vitrocerâmico e silanização. Os blocos cimentados foram armazenados em solução salina (NaCl 0,9%) a 37°C durante 7 dias, sendo então fatiados em máquina de corte para produzir palitos com área adesiva de aproximadamente 0,6mm2 e testados sob tração em máquina de ensaios universais (Kratos, São José dos Pinhais, PR) com velocidade constante de 0,5mm/min. As amostras fraturadas foram analisadas em microscópio eletrônico de varredura. Os dados coletados foram analisados pelo teste T de Student, demonstrando que o grupo 2 apresentou resistência de união (26,1±4,9) estatisticamente superior ao grupo 1 (13,3±6,8), com p=0,001. A análise em MEV demonstrou predominância de falhas adesivas entre o cimento e a cerâmica para o grupo 1 e falhas adesivas, mistas e coesivas no grupo 2. A resistência adesiva a microtração mediante aplicação do filme vitrocerâmico é estatisticamente superior ao uso do método de silicatização Rocatec, estando este fato correlacionado a melhor interação química mediada pelo processo de silanização comum na superfície da Zircônia modificada pelo filme vitrocerâmico. A aplicação do filme parece ser eficiente, devendo ser mais profundamente pesquisada para resultados definitivos.
Palavras-chave: Cerâmica
Microscopia Eletrônica de Varredura
Materiais Biocompatíveis
Ceramics
Microscopy, Electron, Scanning
Biocompatible Materials
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/402
Data do documento: 2010
Aparece nas coleções:Programa de Pós-graduação em Saúde e Desenvolvimento na Região Centro-Oeste

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Rodrigo Dalla Lana.pdf1,96 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.