Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/309
Tipo: Dissertação
Título: Influência da atividade física aeróbica sobre a pressão arterial e fluxo sangüíneo feto-placentário em gestantes hipertensas
Título(s) alternativo(s): Influence of aerobic physical activity on blood pressure and fetal-placental blood flow in hypertensive pregnant women
Autor(es): Medeiros, Arthur de Almeida
Abstract: A associação entre hipertensão arterial sistêmica crônica e gravidez é um importante problema de saúde pública pelas altas taxas de morbi-mortalidade materna e fetal, fato este que torna o tratamento medicamentoso e não medicamentoso relevante para o prognóstico da gestação. Dentre as medidas não farmacológicas destacamse a redução da ingestão de sódio, controle do ganho ponderal e, a prática de atividade física. Esta última, a despeito de bem estudada em pacientes hipertensos de uma forma geral, necessita ser melhor avaliada entre as gestantes hipertensas. Sendo assim, este trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos agudos da atividade física aeróbica sobre a pressão arterial, freqüência cardíaca e fluxo sangüíneo fetoplacentário em gestantes hipertensas. Para a realização deste estudo foram selecionadas 17 pacientes com diagnóstico clínico de hipertensão arterial sistêmica crônica, atendidas no ambulatório de Gestação de Alto-Risco do Hospital Universitário da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, com idade gestacional entre 24 e 32 semanas, e que iniciaram assistência pré-natal antes da 20ª semana de gestação. Todas as gestantes foram submetidas ao mesmo protocolo que constitui de aferição da pressão arterial (PA) e freqüência cardíaca (FC), nas posições sentada (PS) e decúbito lateral esquerdo (DLE) e medida dos índices de resistência (IR) e de pulsatilidade (IP) das artérias umbilical e cerebral média do feto pelo exame dopplervelocimétrico, antes e após a prática de atividade física aeróbica. A atividade física foi realizada em esteira ergométrica, sem inclinação, por trinta minutos, e a velocidade foi ajustada de modo que atingisse 70% da freqüência cardíaca máxima. Os resultados foram analisados pelos testes não-paramétricos, dos Sinais (TS) e de Wilcoxon (TW), ambos com confiabilidade de 95% e significância estatística de 5% (p < 0,05). Dentre as gestantes selecionadas, 12 completaram o protocolo de pesquisa. Após a prática de atividade física se observou aumento significativo da pressão arterial sistólica na posição sentada TS (p = 0,03) e TW (p = 0,02) e da freqüência cardíaca nas duas posições avaliadas, sentada TS (p = 0,006) e TW (p = 0,003) e decúbito lateral esquerdo TS (p = 0,003) e TW (p = 0,001). Não houve diferença estatisticamente significante nos resultados da pressão arterial sistólica em DLE, e das pressões arteriais, diastólica e média, nas duas posições avaliadas. Não houve também, alteração nos IR e IP das artérias umbilical e cerebral média. Estes resultados permitem concluir que a atividade física aeróbica aguda repercutiu em aumento da freqüência cardíaca nas duas posições avaliadas e da pressão arterial sistólica na posição sentada, e não alterou significativamente as pressões arteriais diastólica e média nas posições avaliadas. Quanto ao fluxo sangüíneo feto-placentário não houve alteração estatisticamente significativa imediatamente após a intervenção realizada.
The association between chronic hypertension and pregnancy is a major public health problem for high rates of morbidity and maternal and fetal mortality, a fact that makes the drug and not relevant to the medical prognosis of pregnancy. Among nonpharmacological measures are the reduction of sodium intake, controlling weight gain, and physical activity. The latter, despite the well-studied in hypertensive patients in general, needs to be better evaluated among hypertensive women. Thus, this study aimed to evaluate the acute effects of aerobic physical activity on blood pressure, heart rate and fetal-placental blood flow in hypertensive pregnant women. For this study were selected 17 patients with clinical diagnosis of chronic hypertension, in the Clinic of the High-Risk Pregnancy, Hospital Universitário, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, with gestational age between 24 and 32 weeks, and that started prenatal care before the 20th week of gestation. All pregnant women were subjected to the same protocol that is to evaluate blood pressure (BP) and heart rate (HR), in sitting positions (PS) and left lateral decubitus (DLE) and measure the resistance index (RI) and pulsatility (PI) of umbilical and middle cerebral arteries of the fetus by Doppler examination, before and after aerobic physical activity. Physical activity was performed in ergometric treadmill with no inclination, for thirty minutes, and the speed was adjusted so that reach 70% of maximum heart rate. The results were analyzed by non-parametric tests, the signals (TS) and Wilcoxon (TW), both with reliability of 95% and statistical significance of 5% (p <0.05). Among the women selected, 12 completed the research protocol. After the physical activity was significantly increased systolic blood pressure sitting TS (p = 0.03) and TW (p = 0.02) and heart rate measured in two positions, sitting TS (p = 0.006) and TW (p = 0.003) and left lateral decubitus TS (p = 0.003) and TW (p = 0.001). There was no statistically significant difference in systolic blood pressure results in DLE, and blood pressure, diastolic and mean, in both positions evaluated. There were also changes in RI and PI of umbilical and middle cerebral arteries. These results show that acute aerobic physical activity reflected in increased heart rate in both positions and the estimated systolic blood pressure in the sitting position, and did not significantly alter the diastolic and mean blood pressures in positions evaluated. As the fetal-placental blood flow there was no statistically significant immediately after the intervention performed.
Palavras-chave: Gravidez de Alto Risco
Atividade Motora
Hipertensão
Pregnancy, High-Risk
Motor Activity
Hypertension
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/309
Data do documento: 2009
Aparece nas coleções:Programa de Pós-graduação em Saúde e Desenvolvimento na Região Centro-Oeste

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Arthur de Almeida Medeiros.pdf814,51 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.