Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/2789
Tipo: Dissertação
Título: Infecção pelo vírus da hepatite b e imunidade vacinal em policiais rodoviários federais de Campo Grande, MS
Autor(es): Silva, Débora Sakamoto
Abstract: A hepatite B se caracteriza como problema de saúde pública no âmbito mundial. Profissionais de saúde e de segurança pública, como os Policiais Rodoviários Federais, são uns dos grupos de maior risco para a infecção, uma vez que o contato direto com sangue e fluidos corporais são formas de transmissão da mesma. Estudos com a população em questão se mostram escassos no país e no estado de Mato Grosso do Sul, ainda que as características de seu trabalho a torne mais suscetível à infecção. Este estudo de corte transversal com abordagem quantitativa teve por objetivo caracterizar a infecção pelo vírus da hepatite B e a imunidade vacinal em Policiais Rodoviários Federais do município de Campo Grande - MS e foi realizado no ano de 2015 com 118 policiais lotados na Superintendência e na 1º Delegacia da Polícia Rodoviária Federal do Estado de Mato Grosso do Sul, por meio de entrevista estruturada e coleta sanguínea, com posterior realização de testes sorológicos em laboratório. Para a análise estatística, foram utilizados os testes Qui-quadrado, Qui-quadrado de tendência e Teste Exato de Fisher, e calculadas as razões de prevalência, com intervalo de confiança de 95%. Para estimar as razões de prevalência ajustadas foi utilizada a Regressão de Cox (com tempo igual a uma unidade), utilizando as variáveis com significância ≤ que 20%. A faixa etária predominante foi de 36 a 45 anos (46,6%), 83,9% eram do sexo masculino e 89% possuía ensino superior. A prevalência global da infecção pelo HBV foi de 7,6% (2,8% a 12,4% IC 95%). Não foi encontrada positividade para o HBsAg. A presença do marcador anti-HBc total isolado foi encontrada em 0,8% (0,3% a 1,4% IC 95%) e o anti-HBc total associado ao anti-HBs em 6,8% (2,2% a 11,3% IC 95%). Observou-se que 46,6% (37,6% a 55,6% IC 95%) apresentou anti-HBs isolado, indicando imunidade vacinal e a taxa de indivíduos suscetíveis foi de 45,8% (36,8% a 54,8%). Acidentes de trabalho com material biológico se mostraram presentes em 24,6% dos casos, sendo que o tabagismo e a realização de outra atividade remunerada apresentaram associação estatística significativa em relação à ocorrência dos mesmos. Os resultados mostraram taxa de infecção pelo HBV nos policiais semelhante à população em geral, contudo os mesmos se encontram em risco constante de adquirir a infecção devido à exposição ocupacional, principalmente pela não utilização de EPI. Baixa taxa de vacinação contra a hepatite B e elevado índice de suscetibilidade também foram encontrados. Evidencia-se assim, a necessidade de estratégias mais eficazes de promoção e prevenção e de adequado fluxo pós-exposição ocupacional.
ABSTRACT - Hepatitis B is characterized as a public health problem worldwide. Health workers and public security, as the Federal Highway Police, are one of the highest risk groups for infection, since the direct contact with blood and body fluids are its forms of transmission. Studies arround the population in question are scarce in the country and in the state of Mato Grosso do Sul, although the characteristics of their work makes they to be more susceptible to infection. This study of cross-sectional cohort with a quantitative approach aimed to characterize the infection by hepatitis B virus and the vaccinal immunity in Federal Highway Officers of Campo Grande - MS and was conducted in 2015 with 118 police officers of the Superintendency and at the 1st Federal Highway Police Station of the state of Mato Grosso do Sul, through structured interviews and blood collection, with subsequent serological tests in the laboratory. For statistical analysis, were used chi-square tests, chi-square of trend and Fisher's Exact test, and was calculated prevalence ratios with 95% confidence interval. To estimate the reasons adjusted prevalence was used Cox Regression (with period equal to one unit) using the significance variables ≤ 20%. The predominant age group was 36-45 years (46.6%), 83.9% were male and 89% had higher education. The overall prevalence of HBV infection was 7.6% (2.8% to 12.4%; CI 95%). Was not founded positive for HBsAg. The presence of anti-HBc isolated marker was found in 0.8% (0.3% to 1.4% CI 95%) and the anti-HBc associated with the Anti-HBs in 6.8% (2.2 % to 11.3% CI 95%). It was observed that 46.6% (37.6% to 55.6% CI 95%) showed a isolate anti-HBs, indicating vaccinal immunity and the rate of susceptible individuals was 45.8% (36.8% to 54,8%). Work accidents with biological material was showed present in 24.6% of the cases, and still, the cigarette smoking and performing other gainful activity showed statistically significant association in relation to the occurrence thereof. The results showed rates of HBV infection in police officers similar to the general population, however they were at constant risk of acquiring infection due to occupational exposure, mainly by not using IPE. Low rate of vaccination against hepatitis B and high susceptibility index were also found. It is evident therefore, the need for more effective strategies of promotion and prevention and adequade post-exposure flow.
Palavras-chave: Hepatite B
Policiais
Material Biológico
Vacinação
Acidentes de Trabalho
Hepatitis B
Police
Vaccination
Industrial Accidents
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/2789
Data do documento: 2016
Aparece nas coleções:Programa de Pós-graduação em Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Débora Sakamoto Silva.pdf2,06 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.