Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/1890
Tipo: Dissertação
Título: Arqueogenealogia da orquestra Viver Bem!
Autor(es): Serra, Arthur Galvão
Abstract: O Ponto de Cultura Viver Bem! é um projeto social em Campo Grande (MS) que oferece, entre outras atividades, aula de música clássica aos jovens do bairro Nova Lima. A proposta foi investigar, nesse lócus, os processos de subjetivação e a governamentalidade, considerando os jovens como sujeitos atores da resistência nas relações de poder que o envolvem. Como procedimentos, realizamos análise foucaultiana de práticas e discursos (arqueogenealogia) a partir do arquivo da instituição e de entrevistas gravadas com os jovens. A seleção de enunciados para a análise foi orientada, conforme propõe o autor, pela problematização sobre o objeto de pesquisa (a instituição), considerado como performado por sujeitos, não como um objeto dado e definido, mas cujas definições podem ser investigadas em sua proveniência de acontecimentos, como resultado provisório e não definitivo das relações de poder. Foi possível concluir que o envolvimento dos sujeitos no projeto social pode ser explicado pelo recurso que eles podem fazer a um repertório de discursos conforme os movimentos de resistência produzirem suas condutas; que as próprias práticas dos sujeitos compõem a situação social de forma materialmente verificável; discursos governamentais se utilizam das dispersões e disposições dos enunciados produzindo a norma que não incidirá definitivamente sobre os sujeitos, mas que: no nível geral pode ser analisada em suas regularidades, gerando o saber estatístico, que tem um uso de governo, uma implicação no trato da população; no nível individual, se utiliza da disciplina para produzir efeitos considerados úteis favorecendo a produção de uma subjetividade ajustada, a partir de saberes táticos.
Ponto de Cultura Viver Bem! is a social project located in Campo Grande (MS) which offers, amongst other activities, classical music classes to youth from the urban area called Nova Lima. The purpose was to investigate, in this locus, subjectivation processes and governmentality, considering youth as resistant subjects actors in power relations around them. As procedures, we did a foucauldian analysis of practices and discourses (archeogenealogy) from the institution’s archive and interviews recorded with the youth. The utterance’s selection for the analysis was oriented, according with the author, by problematization over the researched institution, considered as performed by subjects, not as a given and defined object, but whose definitions can be investigated in its provenance of events, as a provisory and not definitively result from power relations. It was possible conclude: the subjects’ involvement within the social project can be explained by the possibility of them to utilize his or hers discursive repertoire according with the resistance movement produce their behavior; subjects’ practices compose social situation in a materially verifiable way, while governmental discourses produce, from and through dispersions and utterance dispositions, producing norm which will not focus definitely on the subjects, but: the overall level can be analyzed in it’s regularities creating static knowledge linked to a governmental use, one implication on population dealing; at the individual level, utilizes discipline to produce effects considered useful favoring producing an adjusted subjectivity, from tactic knowledge.
Palavras-chave: Discurso
Discourse
Poder
Power
Sujeito (filosofia)
Subject (philosophy)
Influências Sociais
Social Influences
Psicologia Social
Social Psychology
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/1890
Data do documento: 2013
Aparece nas coleções:Programa de Pós-graduação em Psicologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTHUR GALVÃO SERRA.pdf674,47 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.