Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/1658
Tipo: Dissertação
Título: Correlação entre os ensaios de citotoxicidade em Artemia salina Leach e atividade antineoplásica sobre linhagens de células tumorais para algumas classes de produtos naturais
Título(s) alternativo(s): Correlation between the citotoxicity assays in Artemia salina Leach and antineoplasic activity on tumoral cell lines for some natural products groups
Autor(es): Harada, Thaís Nichikuma
Abstract: O objetivo deste estudo foi correlacionar qualitativa e quantitativamente a concentração letal necessária para o teste citotóxico em A. salina com a concentração inibitória para o crescimento de linhagens celulares tumorais, utilizando dez substâncias puras previamente conhecidas. Estimativas para o ano de 2008 e válidas também para o ano de 2009, no Brasil, apontam a ocorrência de 466.730 casos novos de câncer, perfazendo o cenário indicativo da necessidade de descoberta de compostos que visem o tratamento dessa doença. A biodiversidade brasileira contribui para a identificação de produtos com utilização econômica, sendo as plantas fonte importante de produtos naturais biologicamente ativos. Dentre os bioensaios simples e rápidos para avaliar a toxicidade de produtos e extratos vegetais está o do microcrustáceo marinho Artemia salina Leach, considerado um bioensaio preliminar no estudo de citotoxicidade e indicativo para testes mais específicos, como o teste em linhagens celulares de mamíferos (antitumoral). Substâncias oriundas de vegetais e pertencentes às seguintes classes de produtos naturais foram avaliadas quanto à sua atividade citotóxica: alcalóides, flavonóides e quinonas. Os ovos de A. salina são eclodidos em solução salina e as larvas utilizadas em estágio náuplio nas concentrações de 250; 125; 61,5 e 31,3 μg/mL para as dez substâncias testadas: boldina, duguetina, aloina, emodina, rutina, quercetina, lapachol, β- lapachona, N-nitrosoanonaina e N-nitrosoxilopina. Células das linhagens Hep2 (carcinoma de laringe) e B16-F10 (células de melanoma) são cultivadas em placas de micropoços e a viabilidade avaliada pelo método da coloração com sulforrodamina B após 48h de exposição às substâncias-teste. Dentre as três classes de produtos naturais avaliadas, as quinonas mostraram-se as mais ativas frente aos dois bioensaios, sendo a β-lapachona a substância com a menor CI50 para ambas as linhagens tumorais e a duguetina, um alcalóide, a mais citotóxica em A. salina. Os resultados confirmam o bioensaio da A. salina como indicativo da atividade antitumoral, porém não é possível estabelecer uma correlação quantitativa segura entre a DE50 e a CI50 dos testes.
The aim of this study was to correlate qualitative and quantitatively the lethal concentration needed for the citotoxic test on Artemia salina with the inhibitory concentration for the growth of tumoral cell lines using ten pure substances already known. Estimates for the year 2008 and also valid for the year 2009, in Brazil, show the occurrence of 466.730 new cases of cancer. It makes necessary the development of compounds that aim the treatment of this disease. The Brazilian biodiversity contributes with the identification of products with economic uses and plants are the important sources of biologically active natural products. The A. salina Leach brine shrimp assay is among the simple and fast bioassays used to evaluate the toxicity of products and plant extracts. It is considered a preliminary bioassay in citotoxicity studies and an indicative test for more specific ones like the bioassay with mammalian cell lines (antitumoral). Substances extracted from plants and belonging to the following groups of natural products were evaluated for their citotoxic activity: alkaloids, flavonoids and quinones. The A. salina eggs are hatched in artificial seawater and used in the nauplii stage to test ten substances in concentrations of 250, 125, 61.5 and 31.3 μg/mL: Boldine, Duguetine, Aloin, Emodin, Rutin, Quercetin, Lapachol, β-Lapachone, NNitrosoanonaine e N-Nitrosoxylopine. Hep2 (larynx carcinom) and B16-F10 (murine melanoma) cell lines are cultivated in 96-well plates and the viability evaluated with the sulforhodamine B stain method after 48 hours of exposure to the tested substances. The quinones were the most active among the three natural products classes evaluated in both bioassays, A. salina and antitumoral. β-Lapachone was the substance with lower IC50 for both tumoral cell lines and Duguetine, an alkaloid, the most citotoxic to A. salina. The results confirm the A. salina bioassay as an indicative of antitumoral activity although it is not possible to establish a secure quantitative correlation between ED50 and IC50 from these tests.
Palavras-chave: Citotoxinas
Cytotoxins
Artemia
Alcaloides
Alkaloids
Flavonóides
Flavonoids
Quinonas
Quinones
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/1658
Data do documento: 2009
Aparece nas coleções:Programa de Pós-graduação em Saúde e Desenvolvimento na Região Centro-Oeste

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Thaís Nichikuma Harada.pdf470,38 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.