Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/607
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorFischer, Erich Arnold-
dc.contributor.authorMunin, Roberto Lobo-
dc.date.accessioned2011-10-20T12:26:57Z-
dc.date.available2011-10-20T12:26:57Z-
dc.date.issued2008-
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufms.br/handle/123456789/607-
dc.description.abstractO estudo da ecologia alimentar de morcegos filostomideos pode fornecer informações úteis para o entendimento dos mecanismos de partilha de recursos que regulam as relações tróficas, e que são responsáveis pela alta diversidade deste grupo na região neotropical. O objetivo deste estudo é avaliar, baseado em amostras fecais, a importancia de espécies de frutos e de pólen e de ordens de artrópodes na dieta de 12 espécies de morcegos filostomideos da região do Rio Negro, Pantanal da Nhecolandia. Analisar também a sobreposição de itens alimentares entre as espécies mais abundantes e a variação sazonal da importancia de frutos, pólen e artrópodes para estas espécies. A maioria dos indivíduos capturados (76%) consumiu partes de frutos. Artrópodes e pólen foram consumidos por 56 e 37% dos individuos, respectivamente. Sementes de Ficus, Cecropia e Piper, pólen de Bauhinia ungulata e as ordens de insetos Lepidoptera e Coleoptera foram os recursos alimentares mais consumidos pelos morcegos no Pantanal. Frutos de Ficus e Cecropia foram consumidos principalmente por Artibeus jamaicensis, Platyrrhinus lineatus e Glossophaga soricina, ao passo que Piper foi o recurso preferido por Sturnira lilium e Carollia perspicillata. Pólen de B. ungulata foi o recurso floral mais importante pra todas as espécies de filostomideos. Lepidoptera foi a ordem de inseto mais consumida por espécies fitófagas ao passo que Coleoptera foi mais importante para o insetívoro Lophostoma silvicolum. O consumo de artrópodes e pólen foi maior durante a estação seca, época em que a disponibilidade de frutos provavelmente é menor no Pantanal. O consumo de artrópodes por espécies frugivoras foi inesperadamente alto no Pantanal, fato que se deve provavelmente à baixa riqueza e qualidade nutricional das espécies de frutos nesta região. Frutos e artrópodes demonstraram ser recursos mais limitantes que pólen uma vez que foram mais finamente divididos pelos filostomideos.pt_BR
dc.description.abstractStudies on feeding ecology of phyllostomid bats can provide useful information for understanding the resource partitioning that affects trophic relationships, responsible for the high diversity of this group in the Neotropical regions. The aim of this study is to evaluate, based on fecal samples, the importance of fruit and pollen species and of arthropod orders on the diet of 12 phyllostomid bats in the Rio Negro region, Pantanal da Nhecolandia. In addition, I analyze overlapping of food items among the most abundant species and the importance of seasonal variation on fruits, pollen and arthropods for these species. Most of the captured individuals (76%) fed on fruit parts. Arthropods and pollen were consumed by 56 and 37% of the individuals, respectively. Seeds of Ficus, Cecropia and Piper, pollen of Bauhinia ungulata and Lepidoptera and Coleoptera were the most consumed items by the bats in the Pantanal. Ficus and Cecropia fruits were mainly consumed by Artibeus jamaicensis, Platyrrhinus lineatus and Glossophaga soricina, whereas Piper was the resource preferred by Sturnira lilium and Carollia perspicillata. Pollen of B. ungulata was the most consumed floral resource by all phyllostomid species. Lepidoptera was the most consumed insect order by phytophagous species and Coleoptera was the most important for the insectivorous Lophostoma silvicolum. Consumption of arthropods and pollen was higher during dry season, when fruits availability is probably lower in the Pantanal. Arthropods consumption by frugivorous bats was unexpected high in the Pantanal, probably due to the poor fruit richness and nutritional quality in this region. Fruits and arthropods showed to be more limiting resources than pollen since they were more finely shared among phyllostomids.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectMorcegospt_BR
dc.subjectQuirópterospt_BR
dc.subjectPantanal - Brasilpt_BR
dc.subjectDieta Animalpt_BR
dc.subjectEcologia de Interaçõespt_BR
dc.subjectEcologia Animalpt_BR
dc.subjectEcologia de Cerradopt_BR
dc.titleNicho trofico de morcegos filostomideos no Pantanal da Nhecolandia, Mato Grosso do Sulpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
Aparece nas coleções:Programa de Pós-graduação em Ecologia e Conservação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Roberto Lobo Munin.pdf121,74 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.