Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/418
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorPontes, Elenir Rose Jardim Cury-
dc.contributor.authorLacerda, Valéria Rodrigues de-
dc.date.accessioned2011-08-30T13:27:41Z-
dc.date.available2011-08-30T13:27:41Z-
dc.date.issued2010-
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufms.br/handle/123456789/418-
dc.description.abstractA promoção da saúde visa assegurar a igualdade de oportunidades e proporcionar os meios que permitam a todas as pessoas realizar completamente seu potencial de saúde. Para tanto, é necessário entender as origens da saúde, pressuposto da teoria salutogênica. A idéia central dessa teoria é o senso de coerência (SOC) que expressa à visão que as pessoas têm da vida e a capacidade de adaptação das mesmas em situações estressantes em relação à promoção da saúde. Considerando que as mães têm uma forte influência na educação dos filhos e, consequentemente no comportamento dos mesmos, essa pesquisa teve por objetivo analisar a associação entre SOC materno e condição de saúde bucal de seus filhos. A amostra final foi constituída por 640 pares (mães e filhos) que foram selecionados através de sorteio. Os resultados revelaram que a idade das mães variou entre 18 e 57 anos, com média de 30,1±6,6 anos (média±desvio padrão) e mediana de 29 anos. Predomínio de boa escolaridade e condição socioeconômica favorável em alguns aspectos apesar da renda familiar per capita estar no patamar de até ½ salário mínimo. O SOC das mães variou entre 13 e 59 pontos, com média de 33,28±9,39 pontos e mediana de 33 pontos. Observou-se que mães com menor média do SOC não tinham uma boa percepção da própria saúde bucal. O índice ceo-d das crianças (n=640) de 4 e 5 anos de idade apresentou o valor de 1,97±2,91(média±desvio padrão). Do total de crianças 355 (55,5%) eram livres de cárie dentária e 337 (52,7%) tinham placa dentária visível e 84 (29,5%) apresentavam lesões cariosas com envolvimento pulpar. Não houve diferença entre os valores do SOC em relação à condição bucal dos filhos, no entanto, houve diferença do SOC materno conforme a percepção materna da saúde bucal dos filhos. Dessa forma esse estudo confirmou uma associação entre menores valores do SOC e condições socioeconômicas adversas, e em situação de estresse, uma visão desfavorável das mães em relação à saúde bucal. A percepção materna não foi condizente com aspectos clínicos da condição bucal dos filhos. Os resultados do estudo mostram que houve associação entre o SOC materno e a percepção de saúde bucal dos filhos.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectEstresse Psicológicopt_BR
dc.subjectResiliência Psicológicapt_BR
dc.subjectSaúde Bucalpt_BR
dc.subjectStress, Psychologicalpt_BR
dc.subjectResilience, Psychologicalpt_BR
dc.subjectOral Healthpt_BR
dc.titleContribuição do senso de coerência para a promoção da saúde bucalpt_BR
dc.typeTesept_BR
Aparece nas coleções:Programa de Pós-graduação em Saúde e Desenvolvimento na Região Centro-Oeste

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Valeria Rodrigues de Lacerda.pdf1,11 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.