Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/1458
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorSilva, Rosangela Villa da-
dc.contributor.authorMuniz, Cleuza Andrea Garcia-
dc.date.accessioned2012-05-30T20:37:08Z-
dc.date.available2012-05-30T20:37:08Z-
dc.date.issued2008-
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufms.br/handle/123456789/1458-
dc.description.abstractA presente pesquisa está embasada nos pressupostos teórico-metodológicos da Sociolinguística Quantitativa ou Teoria da Variação (Labov, 1972), e teve como foco a variação pronominal no Português Brasileiro. O objeto de análise se circunscreve nos pronomes de primeira pessoa nós e a gente em função de sujeito, objetivando compreender os fatores linguísticos e sociais que condicionam/ determinam a variação linguística no âmbito da variação pronominal. O córpus analisado compõe-se de uma amostra de fala de uma comunidade de assentados localizada na zona rural de Ponta Porã, município ao sul do Estado do Mato Grosso do Sul. A amostra é constituída de 16 entrevistas entre informante e documentador. Das 1013 ocorrências dos pronomes nós e a gente, 624 (61%) são do pronome canônico nós e 389 (39%) do pronome inovador a gente. Apesar de uma maior frequência de uso do pronome nós, os resultados evidenciam tratar-se de um caso de variação. Dessa forma, controlamos possíveis fatores condicionantes como o paralelismo formal, a desinência número-pessoal, o preenchimento/ não-preenchimento do sujeito o eu-ampliado, o sexo, a faixa etária e a escolaridade.pt_BR
dc.description.abstractLa presente investigación se basa en los presupuestos teorico-metodológicos de la Sociolingüística Cuantitativa o Teoría de la Variación. (Labov, 1972), y tuvo como foco la variación pronominal en el Portugués Brasileño. El objeto de análisis se circunscribe en los pronombres de primera persona nós e a gente en función de sujeto, objetivando comprender factores lingüísticos y sociales que condicionan/determinan la variación lingüística en el ámbito de la variación pronominal. El corpus analisado se compone de una muestra de habla de una comunidad de asentados ubicada en la zona rural de Ponta Porã, provincia al sur del Estado do Mato Grosso do Sul. La muestra se constituye de 16 entrevistas entre informante y documentador. De las 1013 ocurrencias de los pronombres nós e a gente, 624 (61%) corresponden al pronombre canónico nós y 389 (39%) al pronombre inovador a gente. Aunque haya mayor frecuencia de uso del pronombre nós, los resultados evidencian tratarse de un caso de variación. Por lo tanto, controlamos posibles factores condicionantes como el paralelismo formal, la desinencia número-personal, la presencia/ ausencia del sujeto, el euampliado, el sexo, la edad y la escolaridad.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectSociolinguísticapt_BR
dc.subjectLíngua Portuguesa - Brasilpt_BR
dc.subjectPronome Pessoalpt_BR
dc.subjectLinguísticapt_BR
dc.titleNós e a gente: traços sociolinguísticos no assentamentopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
Aparece nas coleções:Programa de Pós-graduação em Estudos de Linguagens

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Cleuza Andrea Garcia Muniz.pdf951,18 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.